Corno repartindo a namorada com o amigo

Corno repartindo a namorada com o amigo

Corno repartindo a namorada com o amigo

E logo ela diz, arrumei um e se tu queres ser corno sai e eu saberia a hora de voltar, e sair, mas se eu ia ser e volto e olho pela janela e escuto ela gritar e ela dava o cu dela e meu pau endureceu e logo tirei o pau pra bater uma e estava pra gozar e ela olha na minha direção e eu não podia deixa ela me vê e me abaixei pra não atrapalha a foda dela afinal eu era um corno e corno não deve fica atrapalhando a foda da mulher e sair de lá e depois o celular toca e recebo a mensagem com uma carinha de feliz… Esse era o sinal… Uma carinha feliz… Não havia mais volta eu era um corno manso.

Sempre tive fascínio na beleza e sensualidade da mulher negra, então todos os dias de janeiro eu pintava uma negra mais linda que a outra, a partir de imagens que encontrava na internet.

A minha namorada não gostou muito, mas calou-se, e quem cala consente, comecei a chupar os peitões da minha sogra, ela delirou, e pediu pra chupar a minha piroca.

Quando aprendi a me tocar,me masturbava com as mãos,sentado ou deitado na cama com travesseiro por baixo de meu corpo de modo que,com movimentos de vai-vem,chegava facilmente ao orgasmo mas com meu amigo de pelúcia eu ia ao delírio,sentia todo o meu corpo ficar arrepiado.

– Fiz um Camarãozinho, deixa eu acende a luz e apaga as velas. Comecei a enfiar a cabeça, ela empinou mais a bunda. Uma agradável surpresa, e muito bem-vinda, sem dúvidas. – E ela agarrou minha nuca, me aproximando aos poucos.

Deixa que eu pinto, estou aqui prá isso.

Ele pegava nos meus peitinhos e dava tapas na minha bunda dizendo q eu era gostosa e agora seria a putinha dele.

E o avô safado já foi levando a mão até os seios dela, que riu e fingiu que não queria.

Bem ele me olhou duas ou três vezes mais depois, estava acompanhado de uma senhora de mais idade, possivelmente professora pelo tom da conversa.