GOZANDO DUAS VEZES NA BUNDA DA NAMORADA

1202 visualizações

9 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

1202 visualizações

9 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

GOZANDO DUAS VEZES NA BUNDA DA NAMORADA

GOZANDO DUAS VEZES NA BUNDA DA NAMORADA

Difícil aguentar essas “mordidinhas no pau”, sei bem! Pude então ver nosso novo amigo aumentando os movimentos, as duas respirações ficando mais ofegantes e pela primeira vez vi um homem gozando dentro da buceta dela! Momento delicioso.

Jogamos videogame por algumas horas, ele me assediando, roubando uns beijos na marra às vezes, mas parando quando eu recusava. -Sara, não estou aguentado, eu preciso te comer – imploreiProntamente Sara se levantou, ficou de pé, de costas para mim e debruçou sobre a cama…-Me come seu gostoso!A visão daquela bunda gostosa, empinada na minha frente e ela pedindo para come-la me deixou mais louco ainda, coloquei meu pau na bucetinha dela e puxei bem devagar sua cintura, aah que delicia de mulher, comecei devagar e fui aumentando o ritmo, o cheiro de sexo pairava no ar, Sara abafava os gemidos ainda com o travesseiro e repetia baixinho:– Ai que homem gostoso, me come…vai…isso…mete, não para, não para!Eu pedia e ela rebolava no meu pau, pedindo para puxar seu cabelo e eu metendo cada vez mais forte naquela bucetinha quente e molhada.

Marcos ficou bombando o rabo da namorada por alguns poucos minutos, sentindo o tesão crescer rapidamente. Este relato (verídico) ocorreu há aproximadamente dois anos.

Sua curvas são acentuadíssimas, sua barriga é enxuta, suas coxas são grossas e sua cintura é fina, o que apenas realça ainda mais sua bunda. Olhei no corredor se não tinha nenhum colega do curso no corredor e meu recepcionista foi embora. Um dia, houve um problema no encanamento do primeiro andar na escola, então os alunos tinham que ir até o segundo andar para beber água ou usar o banheiro, o que deixou quase todos os banheiros lotados, exceto um que era mais afastado e que quase ninguém conhecia.

Foi algo tão real e tão fora do comum, que acordei com o coração acelerado e a respiração ofegante…"Venho a conta meu conto fictício em primeira pessoa.

E depois deram tudo que tinham.