Negao Gozou Dentro Da Minha Esposa Sem Camisinha

Negao Gozou Dentro Da Minha Esposa Sem Camisinha

Negao Gozou Dentro Da Minha Esposa Sem Camisinha

No auge de sua chupada, ele enfiou o dedo polegar da mão direita em minha xoxota, senti um outro nível de loucura, meu corpo todo tremeu, eu falava algumas coisas que nem eu mesmo entendia, eu gemia, eu estava fora de mim.

com"Marcelinha, segurava os peitinhos de Claudia, puxava o seu cabelo e a beijava na boca, eu já estava quase explodindo, com a cena, meu tesão tava fora de controle, a Claudia pede para socar com tudo que ela ia gozar, soquei sem dó ela começou a gritar e chamar a Marcelinha de Putinha, ela gozou e eu encharquei a sua buceta de porra, devo ter dado umas oito jatos de porra nela, depois que tirei o pau para fora a Marcelinha perguntou se Claudia queria porra, ela fez com a cabeça que sim, Marcelinha ceio chupou a porra que estava escorrendo da buceta dela e foi beija-la para dividir a porra, pensei (pqp cara, nessa noite vou fuder elas demais…)Isa olhava diretamente para Gabriel, imaginava o tesão que o namorado devia estar sentindo participando pela primeira vez de uma suruba, ainda mais essa sendo em família, ela acelerou os movimentos com a boca no pau do tio e sentiu que o mesmo estava prestes a gosar. puxava com força até que gozei muito dentro da camisinha. -Isso Tia Angela, engole tudo, mama no negão tia, mama no namorado da sua sobrinha. Fiquei de pau duro na hora, quis come lá na hora mas minha esposa disse:” não queria sua mulher na zona, estou indo só que o corno só vai comer sua esposa quando eu voltar arrombada e toda gozada pois estou com MT tesão. Ao entrar ele me olha como que hipnotizado e vendo minhas pernas roliças mal cobertas por uma saia curta, diz; meu Deus, como você é linda! Eu quero fazer desta noite uma noite inesquecível para nós dois, e falando isso, lançou-se em minha direção e antes que eu esboçasse qualquer reação, segurou meu rosto e me deu um beijo intenso, me fez abrir a boca e senti sua língua descontrolada dentro de mim… pronto, lá estava eu novamente, sem defesa, à mercê de um novo homem, cheiroso, que começava a me proporcionar um prazer só conhecido recentemente.