Pornô caseiro branquinha garganta profunda leitinho na garganta com garoto de são paulo – sp

2781 visualizações

48 seg

Categoria:

Tag: , , ,

2781 visualizações

48 seg

Categoria:

Tag: , , ,

Pornô caseiro branquinha garganta profunda leitinho na garganta com garoto de são paulo – sp

Pornô caseiro branquinha garganta profunda leitinho na garganta com garoto de são paulo – sp

E falei – abre essa bunda denovo putinha linda-come minha bunda — mais rapidoooOla amigos, essa é minha primeira postagem no site, tenho varias historias reais que aconteceram comigo durante o tempo em que fui taxista, hoje sou professor de música e não tenho a mesma disponibilidade de tempo que tinha antes, bom quero começar esse conto sobre uma morena casada de 44 anos que conheci pelo Facebook, ela mora numa cidade do interior do estado onde moro, na verdade foi uma dupla traição, ela sendo casada, traiu o marido, e eu, traindo a irmã dela, com quem tenho um relacionamento secreto, pois também é casada, vou chama-la de VAL, pois bem, eu e Val nos conhecemos pelo Facebook, trocamos algumas conversas e logo já eramos íntimos, sempre conversávamos sobre o relacionamento dela, que ia mal, o marido não a satisfazia na cama, em 20 anos de casada, Val poucas vezes chegou ao orgasmo, Val é uma morena de estatura mediana, cabelos negros lisos na altura do bumbum, coxas grossas e torneadas, bumbum tipo XGG, enorme e empinado, uma mulher muito atraente, mesmo com 44 anos de idade, um certo dia ela me disse que estava na capital para resolver uns assuntos particulares, então eu disse que queria ve-la, pois como eramos amigos precisávamos nos conhecer pessoalmente, ela pediu para que eu fosse buscar ela no centro para leva-la em casa, ja que eu era taxista e estava chovendo, prontamente fui buscar ela, e fiquei louco quando a vi, realmente encantadora e muuuuuuuito sexy, estava com um vestido de alça que ia ate os joelhos, percebia-se que estava usando uma calcinha fio dental, pois o vestido marcava bem seu bumbum, quando entrou no carro me deu um abraço e disse que queria ir pra casa, perguntei onde era e ela me passou o endereço, saimos conversando ate que pegamos um pequeno trecho da BR, pois o trajeto exigia, perguntei sobre o casamento, ela disse que estava mal, pois fazia mais de um mes que não tinha relaçoes com o marido, indiscretamente perguntei se estava “a perigo”, ela envergonhadamente respondeu que sim, num ato de impulso coloquei as mãos em suas coxas e comecei a acariciar, senti sua pele arrepiar, perguntei se ela estava com pressa de chegar em casa, ela respondeu que não, então ey entrei no primeiro motel que vi na frente, mal entramos no quarto ela ja estava só de calcinha, fiquei contemplando aquele monumento na minha frente, a coloquei deitada na cama e comecei uma sessão de sexo oral bem demorada, dando uma atenção especial para seu clítoris, ela suspirava e gemia alto, puxava meus cabelos com força pedia mais, ate que gozou, cravou suas unhas nas minhas costas, mas eu não parei, bebi ate a ultima gota do melzinho que escorria de suas pernas, então eu deitei na cama e ela veio por cima, sentou no meu pau, que ja parecia uma barra de ferro, e vi aquela morena deliciosa cavalgar em cima de mim, ela gemia alto, gritava, então ela saiu de cima de mim e ficou de 4, pediu para eu meter com toda a força, atendi prontamente, logo ja estava segurando seus cabelos e socando como ela adorava, senti que ia gozar e ela pediu pra beber meu leitinho, soltei jatos de porra em sua boca, ela dizia que eu tinha feito como nunca ela tinha sentido, depois de uma ducha, ainda ganhei um oral maravilhoso dela, ainda mantemos contato mas nunca mais tivemos a oportunidade de repetir nossa brincadeira, espero que tenham gostado do relato, se tiver alguns comentários relatarei outros contos, garanto que são 100% verdadeiros, gostaria de trocar emails e mensagens de whatts com pessoas de todo o Brasil, fico no aguardo de todos meu whattsapp é 6993189596. Assim, com aquele short indecente e transparente e sem camisa, eu continuei a dirigir enquanto ouvia uma fita pornográfica e alisava mansamente meu pau.

Eu segurava a cabeça dela com uma das mãos e forçava o pau pra dentro da garganta dela, ela chegava a se a afogar e a fazer aquele barulho de gargarejo. O Carlos falou o garoto é bom patrão? Nossa Carlos ele sabe mesmo como fazer viu.

Eu: ta bom, punhetei mais rapido e acabei gozando em cima deleMas o que vamos relatar aconteceu sábado 09/04, depois de algum tempo fomos a uma casa de swing aqui em São Paulo, é uma casa nova, fomos pra conhecer. Ela estava de vestidinho e algumas vezes enquanto examinava seus pés via sua calcinha, branquinha de florzinhas, simples mas muito bonita. Sai de perto de todo mundo sorrateiramente e fui caminhando pelo terreno do sitio, passando pelo celeiro, pela casa dos caseiros, pêlos estábulos.

Sandra me adentrando e saindo, lenta porém forte e profunda, a domínio que ela exercia sobre mim, meu corpo tão completamente despreparado para tantas sensações…. Ele gemia baixinho enquanto fudia minha boca como se fosse uma buceta…então depois de mamar e punhetar aquele caralho por alguns minutos senti jatos quentes de porra inundarem minha garganta.