Puta casada mamando pauzao

2566 visualizações

42 seg

Categoria:

Tag: ,

2566 visualizações

42 seg

Categoria:

Tag: ,

Puta casada mamando pauzao

Puta casada mamando pauzao

Mas ao chegar em casa fui deitar e pensei na possibilidade de me deitar com uma mulher.

Não era o meu costume ficar pegando e acariciando o pênis do Ivo na cama, mas naquele dia eu fiz, enquanto eu falava para ele que o Sr. Depois de um tempinho, eu já tava pensando em sair, um usuario com o nick Rod25 me mandou um oi. Chegou em Milena e tirou a calcinha dela só pra me ver masturbar minha amiga. Ambos eramos atletas de artes marciais na mesma equipe.

Eu fui para um sexshop, comprei tres plugs anais de tamanhos diferentes, coisa de gente educada, o maior ainda era um pouco mais fino que meu pauzão. Me pus de joelhos na cama e comecei a chupar a ambos disseram que queriam gozar na minha cara, realizei seus desejos. Mas já conhecem essa história, tem muitas outras mulheres com outras historias cheias de tesão para contar nospróximos contosChegando na cidade ela vai me buscar de carro com a mãe. Imaginei mil e uma possibilidades mas nem uma delas me parecia plausível, afinal eu cm uma mulher casada com uma reputação a zelar não poderia de maneira alguma simplismente vestir uma mini-saia e ficar rodando a bolsinha em qualquer esquina da cidade concordam? Quando eu já estava triste de ter que desistir por não encontrar uma forma segura de fazer acontecer, me surgiu uma luz no fim do túnel.

Peço que vc levante suas pernas. Filho do vizinho: – Mas teria que ser na parte da manhã, pois a tarde será a festa na casa dele.

E nessa hora eu ainda levanta as pernas, sentada completamente em uma das picas, para ficar ainda mais putona.

Eu enfiava um ou dois dedos no seu cu.

Colocou a boca e começou a sugar forte novamente, mamava rápido agora, sem engolir muito mas mamando com pressão e velocidade, queria tomar leite.

Deixou que ela o cavalgasse até que ela se fartasse, gozasse e caísse sobre seu peito, arfando e sorrindo de tanto prazer.

da outra sem qualquer noção de propriedade ou mesmo de posse.