Tammy Gemendo na Rola do Amante

1454 visualizações

1 min 4 seg

Categoria:

Tag: , , ,

1454 visualizações

1 min 4 seg

Categoria:

Tag: , , ,

Tammy Gemendo na Rola do Amante

Tammy Gemendo na Rola do Amante

E olha que ali ela usava biquínis supercomportados! Se ele a visse na praia acho que teria um infarto. Murillo ficava escorregando os dois dedos para fora e para dentro de mim como se eu fosse uma puta qualquer. Ela deu uma de inocente e disse que não sabia do que eu estava falando. Aceitei a idéia e fomos os 3 para o quarto. Chamei o Giovanni para vir mais perto.

”Recentemente relatei minha experiência com o filho de uma amiga, agora vou falar da experiência que tive com Raissa,uma linda travesti ,que além de amiga é também, confidente,cabeleireira,e porque não, amante. E soquei na buceta dela de novo, ficamos algum tempo nessa posição, ela gemendo anunciando seus gozo, quando tirei a rola de dentro dela o gozo escorrendo entre sua perna e disse:– Tu não goza garoto? Meu Deus!– Gozo, vem mama que vou da na sua boquinha seu leite– Ah vai é? Que delicia, da leite pra putinha da??Abaixou-se e começou a chupar, chupando fortemente ate que não aguente e gozei dentro da sua boca, ela não conseguiu engolir tudo mas engoliu o máximo.

Desci e disse:– O que está esperando que não vem me acalmar!– Me fazer mulher no seu corpo suado!– Acabar com meu fogo!– Me comer sem reservas!– O que está esperando!– Quero e estou pronta, para ser a mulher dos seus sonhos!Ele pulou e desabotuou minha blusa e os peitões rígidos saltaram, nada disse apenas agarrou- os as duas mãos e esmagou os bicões, doeu, amassava com brutalidade, eu urrava, ele com dos dentes cerrados espermia os bicões querendo desmancha-los, gemi, chupou um e apertava o outro e trocou. Joana rebolava, gemia e pedia pra ser fodida mais forte.

Segura meu pau para não escapar. como eu vou limpar o gozo do lençol da minha mãe? Nossa, me deu uma dor de cabeça, mas na hora eu fui tomar um banho e me limpar.

fiquei uns 10 minutos lavando meus joelhos e pernas e jogava água sobre meu corpo que escorria pelas minhas costas e meu reguinho fazendo meu corpo brilhar no sol dando masi asas a imaginação do meu vizinho.

Com desejo redobrado ela voltou a me beijar. Era 18 de novembro de 1998 eu estava com minha família, minha avó também estava na minha casa. Seus mamilos duros se esfregavam, as xotas encharcadas se encostaram e o movimento tesoura começou.

Ficamos amigos de verdade e falávamos sobre tudo e as reuniões eram anoite no apto do Djalma.